Blitz Amazônico
Esporte

Vila Olímpica de Manaus comemora 34 anos de história do esporte e formação de atletas de destaque internacional

A Vila Olímpica de Manaus, espaço de referência no esporte internacional, comemora 34 anos de fundação, com a missão de formar atletas de alto rendimento, fomentar a prática desportiva e promover a qualidade de vida. Desde sua inauguração, o complexo esportivo se estabeleceu como um dos mais importantes centros de treinamento e competições do Brasil, oferecendo infraestrutura para diversas modalidades.

“A Vila Olímpica é o local de preparo aos atletas de alto nível e palco de grandes competições, daqui já saíram grandes nomes para o esporte brasileiro. Hoje, todo nosso trabalho está voltado para que o Governo do Amazonas garanta que tenhamos nomes fortes para os próximos ciclos olímpicos, por isso seguimos fomentando o esporte desde a base até o alto rendimento”, destacou o titular da Secretaria de Estado do Desporto e Lazer (Sedel), Jorge Oliveira.

Inaugurada no dia 26 de março de 1990, com uma área de 202.775 metros quadrados, a Vila Olímpica é um grande marco na história esportiva do estado, tornando-se base para treinos de atletas que alcançaram títulos internacionais.

Destacam-se Sandro Viana, bronze no revezamento 4x100m nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008; e Eduardo Piccinini, nadador que conquistou três pratas nos Jogos Pan-Americanos de 1995, em Mar del Plata, na Argentina. Além da ex-ginasta da Seleção Brasileira Bianca Maia Mendonça, que estreou na ginástica aos seis anos e foi ouro no Pan de Guadalajara 2011.

Maurren Maggi, maior nome do atletismo feminino brasileiro, treinou na Vila Olímpica de Manaus antes de conquistar o ouro em Pequim 2008. Mantendo o legado nos esportes olímpicos, Pedro Nunes, do lançamento de dardo, é uma das grandes esperanças amazonense para os Jogos Olímpicos de Paris 2024. O atleta parintinense, que treina na pista de atletismo da Vila, conquistou a prata nos Pan-Americanos de Santiago 2023 e detém o recorde brasileiro com 83 metros 89 centímetros, conquistado no Grande Prêmio Brasil.

“A Vila Olímpica, para mim, é muito importante. Eu morei cinco anos aqui nos alojamentos, foi quando eu dei os primeiros passos no esporte, quando eu vim de Parintins. Hoje, é o local que eu treino e me desenvolvo, trazendo bons resultados. Eu acho que essa importância, a estrutura, a pista, tudo ficou melhor para minhas conquistas”, exaltou Pedro Nunes.

Trabalhando desde 1996 no maior complexo esportivo do Amazonas, Ricardo Porto, se mostra muito feliz em trabalhar tantos anos na Vila. “Eu me sinto parte do estado do Amazonas mesmo, da história do esporte. Eu sou parte das engrenagens do Governo que levaram a formação de diversos atletas que temos aqui hoje. Então, eu me sinto grato”, disse.

A Vila Olímpica de Manaus conta com quadras para práticas de esportes coletivos e individuais; um centro de ginástica; um ginásio para a prática de tênis de mesa; uma sala para o treinamento de boxe; uma pista de atletismo, com arquibancada para um público de 1.500 pessoas; um kartódromo e uma piscina nos padrões olímpicos

Pelci

O Programa Esporte e Lazer na Capital e Interior (Pelci), maior projeto socioesportivo do Brasil, tem seu maior núcleo na Vila Olímpica, com mais de 2 mil atletas. O programa tem sido o ponto de partida para muitos atletas que sonham em representar o Amazonas e o Brasil em modalidades como ginástica artística e rítmica, xadrez, tênis de mesa, judô, voleibol, atletismo, natação, Jiu-jitsu.

FOTOS: Julcemar Alves/Sedel

Post Relacionado

Prefeitura entrega equipamentos a projetos do ‘Esporte na Comunidade’ e inicia atividades de 2023

blitzamazonico

Ex-tenista Navratilova é diagnosticada com câncer de garganta e mama

EDI FARIAS

Mesatenista do Bolsa Esporte do Governo do Amazonas é convocado para Seleção Brasileira

EDI FARIAS