Blitz Amazônico
CidadaniaCidadaniaPrefeitura de Manaus

Maternidade Moura Tapajóz dá início à nova etapa do curso de capacitação da ‘Iniciativa Hospital Amigo da Criança’

Com o intuito de reforçar com sua equipe as boas práticas no parto e nascimento e de estabelecer ações que garantam o exercício da amamentação e reduzam as taxas de mortalidade infantil, a Maternidade Dr. Moura Tapajóz (MMT), da Prefeitura de Manaus, iniciou esta semana a parte prática do curso de capacitação sobre a Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC) de Manejo, Promoção e Apoio ao Aleitamento Materno.


O curso será oferecido, até o final do mês de novembro, de forma híbrida, com o conteúdo teórico sendo disponibilizado na plataforma do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) da Escola de Saúde Pública de Manaus (Esap) e as aulas práticas no auditório da unidade, de acordo com os plantões, durante os turnos de trabalho dos servidores. O treinamento prático é ministrado pelas enfermeiras Maria Alice Santos, Suellen Oliveira Couto; e também pela enfermeira Lílian Aguiar, responsável pelo Posto de Coleta de Leite Humano da MMT, conhecido com Cantinho da Amamentação; e pela médica neonatologista e presidente do Comitê IHAC/MMT, Briza Rocha.

A enfermeira obstetra Núbia Cruz, diretora da MMT, destaca que o curso é realizado por todos os funcionários da maternidade, desde aqueles das áreas assistenciais e técnicas àqueles das áreas administrativas. “A Moura Tapajóz, como ‘Hospital Amigo da Criança’, deve manter um padrão de excelência no que diz respeito aos ‘10 passos para o sucesso do Aleitamento Materno’, Cuidado Amigo da Mulher, Lei do Acompanhante, Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para lactentes e Crianças de Primeira Infância, Bicos, Chupetas e Mamadeiras (NBCAL) e Permanência de acompanhante com o Recém-nascido PRN (que garante o livre acesso, permanência e participação nos cuidados da mãe e pai ao recém-nascido prematuro). E esse padrão deve ser observado da recepção à equipe da alta hospitalar”, ressalta a diretora.
As regras são instituídas pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Segundo a médica neonatologista Briza Rocha, o treinamento é fundamental, tanto para reciclagem dos antigos servidores quanto para o aprendizado e adequação dos colaboradores recém-chegados e que ainda não tiveram a oportunidade de participar das capacitações. “O processo de capacitação inicial da equipe é muito longo e complexo e as atualizações devem ser frequentes e contínuas, para que possamos relembrar nossa própria prática e trocar experiências, garantindo o ajuste dos processos, o fortalecimento das ações e a manutenção dos padrões estabelecidos”.
O curso oferece 20 horas de conteúdos teóricos e práticos sobre manejo da amamentação e boas práticas no parto e nascimento, que são os alicerces para a adequação dos hospitais aos critérios exigidos pela iniciativa para receberem o título. A parte prática, que iniciou esta semana, contempla orientações sobre procedimentos de higiene durante o processo de extração manual de leite à beira leito, horário ideal, como realizar a massagem das mamas, como realizar a extração manual, como retirar o leite que será oferecido ao recém-nascido e como armazená-lo para doação ao Posto de Coleta de Leite Humano da maternidade.

Na parte teórica, são abordadas temáticas como: Políticas de Aleitamento Materno, Dinâmica de Acolhimento, Lactentes com Necessidades Especiais, Traumas Mamilares, Vantagens do Aleitamento, Humanização do Nascimento e Parto, Como o Leite Chega ao Bebê – Fundamentação da Nova Anatomia e Fisiologia, Questões Relacionadas à Saúde Materna, dentre outras.
Confira os “10 Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno”:

Ter uma norma escrita sobre aleitamento materno, que deve ser rotineiramente transmitida a toda a equipe do serviço;
Treinar toda a equipe, capacitando-a para implementar essa norma;
Informar todas as gestantes atendidas sobre as vantagens e o manejo da amamentação;
Ajudar a mãe a iniciar a amamentação na primeira meia hora após o parto;
Mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação, mesmo se vierem a ser separadas de seus filhos;
Não dar ao recém-nascido nenhum outro alimento ou bebida além do leite materno, a não ser que tenha indicação clínica;
Praticar o alojamento conjunto – permitir que mães e bebês permaneçam juntos 24 horas por dia;
Encorajar a amamentação sob livre demanda;
Não dar bicos artificiais ou chupetas a crianças amamentadas;
10. Encorajar o estabelecimento de grupos de apoio à amamentação, para onde as mães devem ser encaminhadas por ocasião da alta hospitalar.

Post Relacionado

Prefeitura de Manaus realiza primeiro encontro para debater políticas públicas para a população em situação de rua

victoria Farias

Com apoio do Paredão, PMAM prende dupla por sequestro

Patrick

Prefeitura implanta desvio de rede de drenagem para evitar demolição de residência 

victoria Farias