Blitz Amazônico
AmazonasCidadaniaCidadania

Caso de varíola dos macacos é confirmada em Iranduba e total vai para 111 no estado do Amazonas

Amazonas -Sobe para 111 o número de casos confirmados de varíola dos macacos no Amazonas. As informações são do boletim atualizado pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS), nessa quarta-feira (28).









Segundo a FVS-AM, 14 novos casos foram diagnosticados em homens, com idade entre 19 a 38 anos, 12 residentes em Manaus e dois em Iranduba.

Apenas um caso confirmado necessitou de internação devido às dores nas lesões, os demais seguem em isolamento domiciliar.

Transmissão

De acordo com o Ministério da Saúde, a principal forma de transmissão da Monkeypox ocorre por meio do contato direto pessoa a pessoa (pele, secreções) e exposição próxima e prolongada com gotículas e outras secreções respiratórias.

Ocorre, principalmente, por meio do contato direto pessoa a pessoa com as erupções e lesões na pele, fluidos corporais (tais como pus, sangue das lesões) de uma pessoa infectada. Úlceras, lesões ou feridas na boca também podem ser infectantes, o que significa que o vírus pode ser transmitido por meio da saliva.

A infecção também pode ocorrer no contato com objetos recentemente contaminados, como roupas, toalhas, roupas de cama, ou objetos como utensílios e pratos, que foram contaminados com o vírus pelo contato com uma pessoa doente.

Já a transmissão por meio de gotículas, normalmente, requer contato próximo prolongado entre o paciente infectado e outras pessoas, o que torna trabalhadores da saúde, familiares e parceiros íntimos, pessoas com maior risco de infecção.

Uma pessoa pode transmitir a doença desde o momento em que os sintomas começam até a erupção ter cicatrizado completamente e uma nova camada de pele se formar. A doença geralmente evolui para quadros leves e moderados e pode durar de 2 a 4 semanas.

Saiba mais sobre a doença clicando aqui.

Evitar o contato íntimo ou parcerias sexuais desconhecidas é uma das recomendações da FVS para se prevenir da doença, assim como evitar beijar, abraçar, ou fazer sexo com alguém com Monkeypox. No caso de sintomas da doença, deve-se avisar as pessoas com quem se teve relação sexual nos últimos 21 dias.

A FVS também orienta que as pessoas diagnosticadas com Monkeypox devem utilizar máscara e roupas cobrindo as lesões; higienizar as mãos frequentemente; não compartilhar alimentos, objetos de uso pessoal, talheres, roupas ou roupas de cama; e buscar um serviço de saúde nos casos de aparecimento de lesões (bolhas) ou feridas.

O atendimento inicial deve ser realizado, preferencialmente, nas unidades básicas de saúde da atenção primária, indicando-se internação hospitalar para os casos que apresentem sinais de gravidade. Os sinais e sintomas incluem dor de cabeça, febre, calafrios, dor de garganta, malestar, fadiga, lesões maculopapulares na pele e linfadenopatia.



Fonte: Portal CM7 

Post Relacionado

Agentes Comunitários de Saúde da prefeitura farão levantamento de dados para pesquisa sobre saúde bucal em Manaus

Patrick

No aeroporto de Coari, PF apreende 87 cheques destinados à campanha eleitoral no dias das votações

Shayenne

Prefeitura de Manaus orienta sobre reembolso da taxa de inscrições canceladas no concurso da Semsa

Redação