Blitz Amazônico
CidadaniaCidadaniaEconomia

Brasil tem gasolina mais barata que Estados Unidos, Japão e Alemanha

O preço médio do litro da gasolina no Brasil (US$ 0,96, ou R$ 5,18) é comparativamente mais baixo que o dos Estados Unidos (US$ 1,03, ou R$ 5,60), da Alemanha (US$ 1,90, ou R$ 10,30) e do Japão (US$ 1,15, ou R$ 6,22), por exemplo.











Os dados são da pesquisa do Global Petrol Prices, realizada em 19 de setembro de 2022, sem o último levantamento da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis). No ranking geral, o valor do combustível brasileiro é o 31ª mais baixo do mundo em dólar.





Veja dados:



A análise é feita com base no preço em dólar da gasolina nos postos e não leva em consideração a comparação entre o salário mínimo de cada país.

Já de acordo com o último levantamento da ANP, desde a aprovação de cortes de impostos sobre o combustível, na semana de 19 a 25 de junho, quando o litro do combustível atingiu o valor recorde de R$ 7,39, o preço já caiu 33,9%, e ficou R$ 2,51 mais baixo.

Além disso, o preço médio da gasolina caiu pela 13ª semana seguida nos postos de combustíveis do país. O litro passou de R$ 4,97 para R$ 4,88, queda de 1,8%, de acordo com o levantamento da ANP realizado na semana de 18 a 24 de setembro e divulgado na última sexta-feira (23). O valor é o menor desde 7 de fevereiro de 2021.

Carla Beni, economista e professora de MBAs da FGV, explica que o preço da gasolina vem de uma base única: o dólar. “Dentro de cada país, adicionam-se os impostos e subsídios, e como cada um deles lida com exploração, refino e distribuição”, afirma Carla.

No geral, a tendência é que os países mais ricos tenham a gasolina mais cara, explica a professora, que cita a exceção — os Estados Unidos.

A economista diz que, para a comparação ser mais real e completa, é necessário analisar o salário médio ou mínimo de cada país. “As pessoas recebem em real, gastam em real, e o preço é em dólar”, explica.

O ponto central é compreender o peso da gasolina no bolso do cidadão no dia a dia, e isso só é possível comparando com o salário médio ou mínimo de cada país.

Nos Estados Unidos, o salário mínimo é medido por hora, e não por mês, como no Brasil. Se o trabalhador fizer 40 horas semanais, ele recebe US$ 1.276 (R$ 6.864,88).

Na Alemanha, o novo salário mínimo foi reajustado e passa a valer a partir de 1º de outubro de 2022, e terá como base 12 euros por hora, o que, para um trabalhador que faz 40 horas semanais, chega a 1.920 euros (R$ 9.926,40).

Já no Japão, o mínimo que se paga mensalmente a um trabalhador são 149.248 ienes (R$ 5.393,82).

No Brasil, o salário mínimo é R$ 1.212,00. Então, ainda que o preço bruto do litro da gasolina seja mais baixo em solo brasileiro (o 31º mais baixo do mundo), o impacto real no bolso do cidadão é maior do que nos Estados Unidos, na Alemanha e no Japão.

No fim de junho, o governo federal aprovou a redução do ICMS nos estados, de 25% para 17% na alíquota máxima, o que causou uma drástica diminuição do preço dos combustíveis nos postos.

Carla explica que “a União vai precisar fazer a compensação da perda de arrecadação para os estados” e que, apesar de ter baixado os preços, a medida é de curto prazo e pode gerar um problema de ordem fiscal no ano que vem.

Ela conclui dizendo que o cenário internacional, por causa da guerra entre a Rússia e Ucrânia, é incerto e imprevisível, mas as condições internas apontam para um aumento de preços a partir de janeiro de 2023.

 

Créditos: R7

Post Relacionado

Enfermeiro é preso suspeito de estuprar gestante

Shayenne

DR. MIKE PROPÕE CORRENTE DE CONFIANÇA PARA COMUNITÁRIOS

Redação

ASSEMBLEIA DOS POVOS MURA, NA VILA DE URUCURITUBA, AVANÇA NA CONSULTA SOBRE EXPLORAÇÃO DE POTÁSSIO EM AUTAZES

Patrick