Blitz Amazônico
CidadaniaCidadaniaPrefeitura de Manaus

Técnicos compartilham experiências de intercâmbio internacional com grupo da Prefeitura de Manaus

A agenda urbana sustentável para o Centro Histórico de Manaus foi tema de apresentação de equipe de arquitetos e engenheiros do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), na sede da Prefeitura de Manaus, na Compensa, zona Oeste, nesta terça, 27/9 e quarta-feira, 28, com base nas experiências e vivências do intercâmbio internacional realizado com apoio do Programa Internacional de Cooperação Urbana (Iurc), da União Europeia.
A Prefeitura de Manaus, via Implurb, assinou, no ano passado, acordo de cooperação, tendo como cidade-parceira a italiana Nápoles, que recebeu visita de técnicos da capital como parte do termo de intercâmbio, vivência compartilhada agora com toda a equipe da autarquia.

Manaus e Nápoles têm uma grande oportunidade de trabalhar juntas na regeneração urbana e recuperação de seus centros históricos por meio de projetos urbanos. A vacância e a deterioração de edifícios é um problema comum para ambas as cidades – guardadas as proporções históricas e de patrimônio –, além de atrair turistas e visitantes. A recuperação do Centro, da área portuária e da orla são temas-chave para a cooperação.

“Temos muitos projetos elaboradores e em andamento, incluindo licitação em curso, para o ‘Nosso Centro’, programa lançado pelo prefeito David Almeida. Em Nápoles há um universo de experiências de patrimônio tombado pela Unesco, da era romana. E estamos recebendo e trocando contribuições técnicas e de gestão do patrimônio de forma culturalmente enriquecida. Outro viés dos estudos são as áreas portuárias, comuns entre Nápoles e Manaus, de como usar a melhor relação cidade e água e vice-versa”, explicou o vice-presidente do Implurb, arquiteto e urbanista Claudemir Andrade.
Um dos pontos de conversão para promover a regeneração urbana no centro histórico é a busca de mecanismos para levar habitação para o território, que hoje tem um perfil comercial e de serviços intenso, mas que sofre com esvaziamento após as 18h.
“Em vários imóveis e até mesmo quadras do centro histórico tombado de Nápoles encontramos diversos usos e tipologias diferenciadas, com restaurantes, lanchonetes, hotéis, residências, escritórios, num só lugar. Um imóvel não recebe uma única atividade, mas apresenta um mix, promovendo uma ambiência rica e maior movimento de pessoas, reduzindo, inclusive, deslocamentos”, comentou Andrade.

Para a arquiteta Eloisa Serrão, que participou do intercâmbio internacional, é possível trazer experiências da cidade italiana para a reativação do porto e do centro histórico, adaptando as proporções e especificidades.
“Um ponto forte e que existe no planejamento da Prefeitura de Manaus é reativar o convívio de serviço, comércio e moradia. Se tudo estiver ativado, os serviços podem ir além do horário padrão comercial, com os térreos de prédios funcionando e os demais andares ocupados por moradores. É preciso desenvolver nos bens o consórcio de usos, compartilhados, dando uma dinâmica diferente para a ocupação urbana”, comentou.

Para Andrade, o material riquíssimo encontrado ajuda a refletir sobre a importância social e do patrimônio para a cidade. “Não adianta ter um patrimônio que ninguém tenha acesso. É preferível fazer algumas intervenções para que a sociedade conheça também a história das cidades”, comentou.

Agenda

A apresentação feita pelo Implurb faz parte do intercâmbio, compartilhando experiências do intercâmbio presencial e troca de vivências com a cidade-membro italiana. A capital amazonense assinou termo de cooperação com o Iurc e os trabalhos são realizados desde o ano passado.

Fotos – Antonio Pereira/Semcom

Post Relacionado

Emoção toma conta de torcedores da rua Santa Izabel no bairro Vila da Prata em Manaus

victoria Farias

Vaza vídeo íntimo de MC Mirella tocando ‘DJ’ no banho; veja vídeo

Shayenne

Abril Azul: Caic+ Especialidades Ana Braga encerra campanha com atividades para crianças com autismo

Redator