Blitz Amazônico
CidadaniaCidadaniaPrefeitura de Manaus

Primeiro projeto da Prefeitura de Manaus do ‘Nosso Centro’ é enviado para Comissão de Licitação

Um dos maiores projetos de reconversão e reuso para a reabilitação do centro histórico da capital da Prefeitura de Manaus, o mirante e largo da Ilha de São Vicente, foi enviado na terça-feira, 11/10, para a Comissão Municipal de Licitação (CML) para elaboração do edital de concorrência pública.


A gestão do prefeito David Almeida avança nos projetos estruturantes urbanísticos do primeiro prédio do “Nosso Centro”, que teve aprovação junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan-AM) do Amazonas.
Projetado por equipe do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), o edifício Mirante da Ilha, na avenida 7 de Setembro, esquina com a rua Visconde de Mauá, vai contribuir com a preservação do conjunto urbano do Centro Histórico de Manaus, ao promover a requalificação do local. O imóvel hoje se encontra sem uso e descaracterizado, às margens do rio Negro, tendo quatro andares (térreo e mais três). A previsão da Prefeitura de Manaus é ter a obra entregue em 2023.
“Teremos o futuro mirante Lúcia Almeida, que é uma das obras prioritárias do prefeito David Almeida para o programa ‘Nosso Centro’, que prevê recuperação de prédios históricos no entorno como também a criação de espaços públicos, como o largo de São Vicente. Será um retrofit em um prédio abandonado, que vai ganhar novas leituras de uso e atividades para cultura, lazer, contemplação, arte, turismo, gastronomia, economia, entre outros”, explicou o vice-presidente do Implurb, arquiteto e urbanista Claudemir Andrade.
Trata-se do projeto-piloto que lança toda a proposta da gestão David Almeida para reabilitação do território, a partir do antigo imóvel onde funcionava a Companhia Energética do Amazonas (Ceam). Será a primeira grande área vertical a ser construída pela Prefeitura de Manaus para atividades de entretenimento, lazer, contemplação e negócios na Ilha de São Vicente.
“Estamos construindo importantes bases para a reabilitação do centro de Manaus. Buscamos o alinhamento técnico e o resgate histórico para viabilizar os projetos que permitam novas dinâmicas para o território. Há diversas experiências nacionais com intervenções inter-relacionadas ao patrimônio histórico”, explicou o diretor-presidente do Implurb, engenheiro Carlos Valente.

Gestão e recursos
Para Valente, Manaus está em um bom caminho com a gestão David Almeida e, especialmente, por poder contar com aporte de recursos para as obras. “Muitos programas e planos afundam, porque não têm recursos aportados. E os recursos foram uma garantia do prefeito para a primeira etapa do ‘Nosso Centro’. Evoluímos com comprometimento com a cidade e projetos significativos e importantes para reabilitar o centro histórico”, comentou.
Como é um grande equipamento urbano, ele foi projetado para abrigar várias ações de cultura, lazer, gastronomia, negócios e muito mais, tendo como fundo a vista do rio Negro. E um dos eixos do “Nosso Centro” é destaque do escopo da intervenção, o “Mais Negócios”.

O prédio e o futuro largo construído ao seu redor servirão como um dos polos dinamizadores da região, sendo a primeira área pública verticalizada, da capital, de lazer e contemplação para o rio.
Projeto arquitetônico
O antigo prédio da Ceam vai abrigar um complexo de lazer e negócios, com foco no turismo, incluindo um píer, mirante, varandas, praça de alimentação coberta, decks e uma bela cobertura sinuosa que remete a um banzeiro. O píer vai substituir uma estrutura precária de atracadouro que existe no lugar, que recebe lanchas e pequenas embarcações do Corpo de Bombeiros, e das áreas de saúde e educação.
O prédio vai proporcionar uma vista privilegiada para o rio Negro, num dos pontos mais avançados da Ilha de São Vicente, contemplando espaços para projetos comerciais, como restaurantes, banheiros, lanchonetes e bares, além de área de exposições culturais, apresentação de shows, paisagismo e convivência integrada entre a construção e o ambiente natural.

O edifício terá estrutura coberta, mas com vãos vazados que vão permitir, em vários níveis, a observação para o rio e sua contemplação. A obra vai se integrar ao parque urbano, construindo um grande largo, associado à circulação de vários modais e requalificação de áreas vazias.
O largo que será criado no espaço envolve prédios de interesse de preservação até a rua Bernardo Ramos. Com a reconversão do edifício, no térreo ele contará com uma grande praça coberta, seguida de um segundo andar para área cultural e central de artesanato. No local, artistas poderão fazer exposições e apresentar shows. No terceiro pavimento ficará a gastronomia, com três operações de restaurantes, e no quarto o mirante.

Post Relacionado

Comitivas da CGU e do Pnud vêm a Manaus conhecer os benefícios da Tarifa Social Manauara e projeto de saneamento exclusivo para áreas vulneráveis

blitzamazonico

Secretário Sabá Reis receberá Medalha de Ouro Cidade de Manaus

Patrick

No primeiro dia de campanha, Ricardo Nicolau vai às ruas de Centro e recebe apoio do povo

Victória Farias