Blitz Amazônico
BrasilCidadaniaCidadania

Favela dos Sonhos, em São Paulo, recebe projeto Comunidades do Brincar

A Favela dos Sonhos, em Ferraz de Vasconcelos, município da Grande São Paulo, conta desde o último dia 22, com o projeto Comunidades do Brincar, um espaço lúdico voltado a brincadeirs infantis. A ação visa a democratizar o acesso ao brincar em espaços marginalizados do país, entregando, além de alternativas para a diversão das crianças que ali moram, um ambiente saudável, seguro, de vida em sociedade e porta de entrada para o desenvolvimento integral das crianças e da comunidade.
Com financiamento da Fundação Lego, o projeto pretende causar impacto positivo na Favela dos Sonhos, com parceria da organização da sociedade civil Gerando Falcões, a comunidade amazônica do Punã e a Fundação Amazônia Sustentável (FAS).
O desenvolvimento contou com parceria do coletivo Parque de Bambu, especializado na construção de espaços de brincar com foco em elementos naturais, promovendo, assim, a conexão das crianças com a natureza no momento das brincadeiras. Para se chegar ao espaço ideal, foram realizadas oficinas de escuta com crianças, pais e cuidadores, em parceria com o projeto CoCriança, a fim de criar ambiente lúdico em sintonia com as perspectivas dos moradores.
“O espaço de brincar, chamado Ladeira da Alegria, foi montado na praça central. A escolha do local foi feita com a comunidade. É um espaço que hoje está pavimentado, uma rua que foi cedida pela comunidade. Fizemos rodadas de escuta com as crianças e cuidadores, pais e mães. As crianças pediram balanços, então a gente acrescentou balanços ao projeto. E toda a estrutura do projeto é feita com materiais naturais, que são duráveis e de fácil manutenção, para que a comunidade possa cuidar”, explicou a diretora de campanhas do Movimento Unidos Pelo Brincar na América Latina, Fernanda Morena.
Ela disse que a proposta é levar mais oportunidades para a comunidade e trabalhar com elementos naturais para valorizar, também, a importância de se criar conexões com a natureza desde a infância. “Crianças brincando em seus territórios demonstram que esses lugares são saudáveis. Nesse sentido, acreditamos que a construção de comunidades livres de violência passa também pela formação, atenção e cuidado na infância”, destacou.

Na Favela dos Sonhos, o Comunidades do Brincar fortalece o pilar de primeira infância como determinante para o desenvolvimento dos territórios no Programa Decolagem, iniciativa da Gerando Falcões, com parceria do Movimento Unidos Pelo Brincar e a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, parte do projeto Favela 3D, cujo objetivo é reestruturar as comunidades para promover transformação nas periferias, tendo em vista a melhoria da qualidade de vida de seus moradores.




A diretora do movimento lembra que é fundamental brincar na infância. “Sabemos que criança quando brinca, desenvolve habilidades fundamentais para seu crescimento integral. A criança quando brinca, também está aprendendo. Essa é a mensagem final que a gente quer passar com esse projeto – que toda criança, independentemente de onde esteja, tenha acesso ao brincar e a possibilidade de desenvolver e aprender utilizando essa ferramental. O brincar não pode ser um privilégio, tem que ser acessível a todas as crianças do país”, lembrou.

A iniciativa é a continuidade do projeto Favelas do Brincar, que criou, em 2021, espaços dedicados a brincadeiras, atividades lúdicas e ao convívio social nos territórios do Complexo do Alemão, no Rio do Janeiro, em Paraisópolis e Heliópolis, em São Paulo.

Brincar na Amazônia

Com a mesma proposta de levar a importância do brincar para o desenvolvimento integral de crianças e comunidade, o projeto também lança um espaço na comunidade Punã, localizada na reserva de desenvolvimento sustentável (RDS) Mamirauá, município de Uarini, no estado do Amazonas. Em parceria com a Fundação Amazônia Sustentável (FAS), a entrega está prevista para o próximo dia 5 de novembro.
Para a gerente do Programa de Educação para Sustentabilidade (PES) da FAS, Fabiana Cunha, a atividade ajuda as crianças no desenvolvimento de habilidades, socialização e fortalecimento de vínculos com familiares. “Mostramos assim, para todos, como é possível criar espaços de brincadeiras nas comunidades. Com essa ação, queremos chamar a atenção para esse momento tão importante na vida das crianças e que isso seja mais presente no cotidiano das famílias da Amazônia”, observa.
Campanha de mobilização

Ainda este ano, o projeto Comunidades do Brincar lançará campanha de mobilização com o objetivo apoiar o poder público na questão da falta de espaços de brincar em comunidades marginalizadas, usando os recursos públicos de forma eficiente e com a ajuda da população.

“A partir de trocas com as lideranças locais e escutas na comunidade, percebemos que, além de sensibilizar sobre a importância do brincar, também há demanda e oportunidade para fortalecer o pilar da primeira infância”, afirma Morena.

Oo programa inclui também a capacitação de assistentes sociais e lideranças comunitárias da Gerando Falcões, na Favela dos Sonhos, para abordagem da primeira infância e sensibilização de famílias sobre o tema. O objetivo é apoiar a comunidade com conteúdos e materiais, para que possam replicar no dia a dia. Essa etapa seguirá até dezembro.
Movimento Unidos pelo Brincar

O Movimento Unidos pelo Brincar tem a missão de promover a valorização do lazer como um dos pilares do desenvolvimento infantil. Por meio do brincar, crianças desenvolvem diversas habilidades e, por esse motivo, o movimento visa a estimular famílias, cuidadores e o setor público a oferecer mais oportunidades de aprendizagem lúdica para todas as crianças. Com financiamento da Fundação Lego, a iniciativa atua desde 2019 com ações no Brasil, na Colômbia, no México e em Ruanda.
Fundação Amazônia Sustentável

Fundada em 2008 e com sede em Manaus, a FAS é organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que dissemina e implementa conhecimentos sobre desenvolvimento sustentável, contribuindo para a conservação da região. A instituição atua com projetos voltados para educação, empreendedorismo, turismo sustentável, inovação, saúde e outras áreas prioritárias. Por meio da valorização da floresta em pé e de sua sociobiodiversidade, a fundação desenvolve trabalhos que promovem a melhoria da qualidade de vida de comunidades ribeirinhas, indígenas e periféricas da Amazônia.

Post Relacionado

Novos servidores participam de processo de integração no TCE-AM

Victória Farias

Alunas da Prefeitura de Manaus são Ouro na Olimpíada Nacional de Ciências

Victória Farias

‘Não me filma, eu sou da igreja’, diz jovem ao ser flagrada em suruba clandestina no Amazonas; veja vídeo

Shayenne