Blitz Amazônico
AmazonasDemocraciaFeminicidioManausMulherPolítica

Presidente da Aleam, deputado Roberto Cidade, ressalta importância do voto feminino e do respeito à democracia

Democrata e entusiasta da maior participação feminina na política, o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado estadual Roberto Cidade (UB), ressalta neste 3 de novembro, “Dia da Instituição do Direito de Voto da Mulher”, a importância do direito adquirido e incentiva que mais mulheres ocupem espaços políticos e de tomada de decisões.

“Hoje é uma data importante para a mulher no Brasil. Há 92 anos, a mulher adquiriu o direito de participar do processo democrático brasileiro. Hoje, elas são a maioria entre o eleitorado brasileiro. Mas mais do que votar, desejo que cada vez mais mulheres se disponham a estar nos espaços públicos de poder, que coloquem seus nomes à disposição do eleitor e que ocupem locais de relevância em nossa sociedade”, incentivou o parlamentar.

Assim como no restante do Brasil, no Amazonas, conforme dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a maioria do eleitorado, 51,81%, é feminino, contra 48,19% de eleitores masculinos. São quase 1.299.903 de eleitoras e 1.208.892 de eleitores, uma diferença de 90 mil eleitores a mais do sexo feminino.

Apesar de a maior parte do eleitorado brasileiro ser mulher, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o Brasil ocupa a nona posição entre os 11 países latino-americanos no que diz respeito à participação política feminina. O Mapa da Política de 2019, elaborado pela Procuradoria da Mulher no Senado, corrobora esse índice: dos 70 mil cargos eletivos, apenas 12,3% são ocupados por alguém do gênero feminino.

“O dia 3 de novembro ressalta a importância do protagonismo feminino para a igualdade social e política no Brasil, e aproveito para enfatizar, mais uma vez, a importância do respeito à democracia. Acabamos de sair de um processo de escolha nas urnas, de decisão voto a voto. Não podemos esquecer que isso só foi possível após muita luta. Temos o dever de sermos democratas e de respeitarmos a democracia”, opinou.

Dia da Instituição do Direito de Voto da Mulher

A luta das mulheres brasileiras pelo direito ao voto teve início em 1891, quando foi rejeitada proposta de emenda à Constituição prevendo o direito de voto à mulher, mas, em 24 de fevereiro de 1932, o voto feminino no Brasil foi assegurado.

Em 3 de maio de 1933, na eleição para a Assembleia Nacional Constituinte, a mulher brasileira, pela primeira vez, votou e foi votada em âmbito nacional. Com a Constituição de 1934, o voto feminino ganhou bases constitucionais

Post Relacionado

Carreta Vacina Amazonas fecha primeiro dia na zona oeste com quase 800 doses aplicadas

Victória Farias

Fisioterapeuta Ráiner Figueiredo recebe grau de Comendador, pela gestão inovadora e inclusiva na Policlínica Codajás

Shayenne

Trazendo diversidade ao paladar, a feira gastronômica do #SouManaus2022 é aclamada por chefs e público

Redação