Blitz Amazônico
Ministério Público - AM

Ministério Público lança projeto “Não Seja Mula” em parceria com a PF

Apresentação ocorreu durante workshop da Semana de Combate a Crimes Aeroportuários, promovida pelo Núcleo de Polícia Aeroportuária (NPAER)

Na semana em que o Amazonas recebe grande fluxo de passageiros em razão da 57ª edição do Festival Folclórico de Parintins, o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPAM), por meio da 86ª Promotoria de Justiça Especializada em Crimes de Uso e Tráfico de Entorpecentes, realizou, na manhã desta terça-feira (25/06), o lançamento oficial do projeto “Não Seja Mula”, em parceria com a Polícia Federal, no auditório do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes.

A apresentação ocorreu durante o workshop “Interdição de Drogas em Aeroportos”, parte da Semana de Combate a Crimes Aeroportuários, evento promovido pelo Núcleo de Polícia Aeroportuária (NPAER), com o objeto de abordar medidas não repressivas e socioeducativas no combate ao tráfico de drogas por meio de mulas na região amazônica.

Segundo a promotora de Justiça Yara Rebeca Albuquerque Marinho de Paula, criadora do projeto, mulas são pessoas que, mesmo não necessariamente tendo alguma ligação com facção criminosa ou sendo usuárias, submetem-se ao transporte da droga, afixada no corpo, para levarem a outros Estados da federação com a promessa de receberem dinheiro e bens materiais.

Semanalmente, às vezes diariamente, ‘mulas’ são condenadas na Justiça, mas não pelo envolvimento com o tráfico e sim pela prática do crime. Sabendo disso, o MP pretende, com esse projeto, conscientizar a população, fazer a informação chegar na pessoa e ela não aceitar a condição de mula, criar uma consciência coletiva. Quando a pessoa pratica o crime de tráfico de entorpecentes na condição de mula, ela causa um prejuízo a si e a toda a sociedade”, afirmou a promotora de Justiça.

De acordo com o chefe do NPAER Júlio César Queiroz, a iniciativa partiu de uma visita técnica do MPAM com a ideia de criar ações preventivas e sociais sobre combate às drogas. “O Ministério Público é visto historicamente como o dono da ação criminal, mas nessa iniciativa estamos juntando as forças institucionais para fazer a parte preventiva, levando informação até a população”, comentou.

Nascimento do Projeto

A promotora de Justiça Yara Marinho comentou sobre os dados públicos disponibilizados pela Polícia Federal do Amazonas, via Operação Closed Gate, que traçou o perfil das pessoas que atuam como “mulas”. Em média, elas têm de 20 a 40 anos, em sua maioria mulheres de baixa renda e com dificuldades financeiras.

Após o perfilamento, o MPAM realizou a visita técnica ao aeroporto Eduardo Gomes em maio de 2024, para acompanhar as ações na área de combate às drogas e o levantamento de ideias de ações preventivas e sociais que intervenham na prática do tráfico.

Confirma mais imagens do evento no Flickr do MPAM.

Foto: Hirailton Gomes

Post Relacionado

Titulares de promotorias de combate ao tráfico de entorpecentes do MPAM alinham estratégias de atuação no aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus

blitzamazonico

MPAM ingressa com Ação Civil Pública contra Hapvida por descaso no atendimento a crianças com autismo

blitzamazonico

Turma de direito da UEA visita o Ministério Público do Amazonas

blitzamazonico